Soro caseiro: para que serve e como preparar receita caseira?

Fácil de preparar, soro caseiro ajuda a manter o corpo hidratado

Soro caseiro, nome popular do soro de reidratação oral, é uma solução feita composta por água, sal e açúcar que ajuda a combater a desidratação, causada principalmente por vômitos e diarreia.

A solução tem sido usada no Brasil desde a década de 70 e, segundo o Ministério da Saúde, o soro caseiro contribuiu para reduzir a mortalidade infantil ocasionada pela desidratação em todo o mundo.

Receita: como preparar o soro caseiro

Para preparar o soro caseiro você precisará de água, açúcar e sal, sendo misturado na seguinte medida:

Se necessário, a UNICEF disponibiliza uma colher padrão em qualquer posto de saúde, e ela contém uma medida em cada ponta.

Além disso, é possível encontrar essa preparação nas unidades da farmácia popular distribuída pelo Ministério da Saúde, gratuitamente, na forma de envelopes prontos para o uso.

O soro caseiro, aquele famoso, que se faz em casa, só deve ser feito em uma situação que não haja acesso à preparação pronta devido às chances de erros nas medidas.

Por que as quantidades de soro caseiro tem que ser tão precisas?

De acordo com o pediatra Hamilton Robledo, é necessário que sejam estas medidas, pois correspondem às perdas de água e sais minerais que acontecem durante quadros de diarreia e vômitos.

Como tomar o soro caseiro?

Deve-se ingerir o soro caseiro em pequenos goles. O soro tem validade de 24 horas após ser preparado. É importante observar se há perda de líquido por meio de diarreia e vômitos. Caso haja, o recomendado é ingerir o soro caseiro na mesma quantidade perdida.

"O soro caseiro deve ser oferecido em pequena quantidade e várias vezes, por exemplo, 1/2 copo para crianças acima de 2 anos a cada 30-40 min, e para as crianças abaixo de 2 anos, pode ser oferecido à colheradas", diz Hamilton Robledo, pediatra da Rede de Hospitais São Camilo de SP.

Para que serve o soro caseiro?

É indicado para reposição da água e sais perdidos em quadros como a diarreia e vômitos que podem levar à desidratação.

"O soro caseiro de reidratação oral é indicado em casos de desidratação, que em crianças normalmente se deve às diarreias, principalmente as acompanhadas de vômitos", diz o pediatra Sylvio Renan, autor do livro "Seu bebê em perguntas e respostas - Do nascimento aos 12 meses" e especialista Vspy.info. O que muitas vezes não notamos é que quando desidratados não perdemos apenas água, mas sais também - por isso, apenas água não basta para combater a desidratação. Apesar de ser mais comum dar o soro caseiro para crianças, adultos de qualquer idade também podem se beneficiar dele quando há risco de desidratação.

Contraindicações do soro caseiro

"O soro é contraindicado para bebês que ainda mamam exclusivamente no peito. Pessoas com hipertensão ou diabetes devem fazer uso com orientação médica e somente até saírem do quadro de desidratação", explica Érika Prates Cassiari, professora do curso de biomedicina da Universidade Metodista de São Paulo.

Segundo explica a especialista, as quantidades de açúcar e sal presentes normalmente não são suficientes para alterarem a glicemia e pressão arterial dos pacientes, contudo, mesmo assim é preciso cautela. Até porque uma pessoa com diabetes que esteja com desidratação pode estar com um quadro infeccioso e risco de hipoglicemia aumentado.

De acordo com o pediatra Renan, crianças com diabetes tipo 1 devem ser reidratadas com acompanhamento médico e geralmente com internação hospitalar.

Validade do soro caseiro

Segundo os especialistas, o soro pode ser guardado por até 24 horas, desde que em um recipiente fechado e, de preferência, refrigerado. Depois deste período ele deve ser descartado.

Soro pronto: qual a diferença?

Uma alternativa ao soro feito em casa, mas com o mesmo objetivo de prevenir a desidratação, é o soro pronto. O produto pode ser retirado gratuitamente nos postos de saúde, nas unidades da Rede Farmácia Popular, ou adquirido nas demais farmácias. Neste caso, o conteúdo ("pozinho") deve ser diluído na quantidade de água - filtrada e fervida ou mineral engarrafada - especificada na embalagem.

A diferença entre o preparado pronto para ser diluído e o soro feito em caseiro é que em casa, há o grande risco da proporção de sal e açúcar serem erradas levando ao risco de piora do quadro da pessoa desidratada.