Olhos secos: tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Olhos secos?

Olhos secos acontecem quando nossos olhos não estão sendo lubrificados o suficiente, causando desconfortos e até mesmo problemas de visão.

Já a Síndrome do Olho Seco, ou Síndrome da Disfunção Lacrimal, ocorre quando existe a falta de produção de lagrima ou quando esta está alterada em algum de seus componentes.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Os olhos precisam das lágrimas para estar em constantemente hidratados, assim suas estruturas podem trabalhar de forma adequada e até mesmo impedir o atrito entre a córnea a pálpebra. Muitas vezes, porém, os olhos podem não receber hidratação suficiente, seja por alguma deficiência ou ausência da lágrima ou mesmo alguma falha do mecanismo de lubrificação dos olhos.

A lágrima é essencial para lubrificação, nutrição e proteção das estruturas oculares externas, como córnea e conjuntiva. Quando alterada em quantidade ou qualidade, essas estruturas deixam de funcionar corretamente ou mesmo sofrem determinadas consequências como:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Olho seco: saiba o que causa a irritação nos olhos

Causas

Os olhos secos normalmente estão relacionadas a alguns fatores. Conheça-os:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Problemas na composição da lágrima

A lágrima é composta por três camadas: uma de água, outra de gordura e outra de muco, uma mistura ideal para hidratar os olhos da melhor forma possível. A camada oleosa é importante para evitar a evaporação da lágrima. Mas, se essa camada por acaso não for produzida ou for mal produzida, pode ocasionar a evaporação excessiva da lágrima, impedindo que ela lubrifique os olhos corretamente e causando olho seco, do tipo evaporativa. A camada de muco “prende” a lágrima no olho e a aquosa é basicamente a responsável pelas funções lacrimais: hidratação, proteção e nutrição.

Essa alteração na composição da lágrima pode ocorrer por diversos motivos, como deficiência de vitamina A, menopausa, problemas na glândula lacrimal, entre outros.

Produção deficiente de lágrimas

Algumas pessoas simplesmente não produzem lágrimas o suficiente e por isso o olho não é lubrificado de uma forma correta, causando desconforto e sensação de olhos secos.

Doenças associadas

O olho seco pode ser sintoma de problemas oculares blefarite, meibomite, doenças conjuntivais, uso de medicação e outras doenças, além de fatores ambientais.

Fatores ambientais

Excesso de exposição ao sol, poluição, ar condicionado e ventos fortes diretamente nos olhos são fatores que podem influenciar na evaporação da lágrima e com isso aumentar a incidência de olho seco.

A redução de piscadas também pode causar o problema, pois como os olhos são lubrificados toda vez que piscamos e a redução dessa ação pode resultar em deficiência na lubrificação, o que torna os olhos mais secos. Isso ocorre, por exemplo, quando ficamos por horas focados em telas de computador, tabletes, celular ou televisão. O número de piscadas cai de 22 vezes para apenas cinco por minuto.

Olho seco: saiba o que causa a irritação nos olhos

Fatores de risco

Qualquer pessoa é passível de ficar com os olhos secos, mas o problema é mais incidente em alguns casos. Veja quais são os fatores de risco para o olho seco:

Outros fatores também podem estar relacionados à secura dos olhos, como:

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Pessoas com olho seco devem procurar um médico se sentir os olhos coçando, muito vermelhos ou irritados por um longo período de tempo. Enxergar de forma borrada, vivenciar uma súbita queda de visão ou mesmo sentir dor nos olhos são outras razões para buscar ajuda médica.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar olhos secos são:

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para olho seco, algumas perguntas básicas incluem:

Não hesite em fazer outras perguntas, caso elas ocorram no momento da consulta.

Diagnóstico de Olhos secos

Ao visitar o médico, ele fará primeiramente um exame ocular, que levará em conta as informações do paciente, como história resumida de sua saúde ocular e geral.

O médico também poderá mensurar o volume secretado de lágrimas do paciente. Para tanto, o método mais comum é o teste de Shirmer. Nele o especialista usa uma fitinha cuja ponta é colocada na pálpebra inferior dos olhos e o paciente fica com os olhos fechados por cinco minutos. A lágrima produzida nesse tempo vai molhando a fitinha.

Além disso, o oftalmologista poderá realizar teste para determinar a qualidade das lágrimas. Para isso, ele usa colírios com colorações especiais. Ao aplicá-los, o médico procurará por padrões específicos na córnea e medirá quanto tempo demora para sua lágrima evaporar.

Existem, ainda, métodos tecnológicos, como aparelhos modernos, que auxiliam, em alguns casos, melhor diagnosticar o tipo e gravidade de Olho Seco, como mensuração da osmolaridade, visualização microscópica de patógenos causadores de blefarites, exames de imagens que podem averiguar o tempo de ruptura do filme lacrimal, padrões de alteração baseados em cores, ente outros.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Olhos secos

O colírio de lágrima artificial é a primeira escolha utilizada quando alguém apresenta olhos secos. Existem basicamente dois tipos de colírios lubrificantes: os com conservante e os sem conservante. Os primeiros tem uma maior chance de irritar os olhos, mas vale consultar um oftalmologista para saber qual deles é mais indicado para você.

É importante ressaltar que colírios, muitas vezes, vendidos como “alívio” para os olhos nem sempre tem propriedade de lubrificantes e muitas vezes não auxiliam em nada o tratamento. Vale ainda lembrar que, colírio é qualquer forma de tratamento com medicação em tubos ou flaconetes para serem instilados, ou seja, um pote de colírio pode conter variadas substâncias, como lágrimas artificiais, até antibióticos potentes e anti-inflamatórios, que mal utilizados podem levar a piora do quadro ou mesmo a cegueira. Sempre use qualquer medicação com prescrição e indicação de um oftalmologista.

Outras abordagens podem ser necessárias no tratamento do olho seco. Uma delas é o fechamento (de um ou mais) dos dutos lacrimais, que drenam as lágrimas, para evitar sua perda. Isso é feito com plugs de silicone, que em alguns casos podem ser removidos, além da abordagem cirúrgica.

Outra forma de tratamento é o uso de lentes de contato específicas para quem tem olhos severamente secos. Essas lentes protegem a córnea de uma forma semelhante à lágrima, evitando os efeitos do atrito com a pálpebra e conservante a lágrima um tempo maior.

Muitas vezes, quando o olho seco é resultado de uma blefarite, é importante tratar a causa do problema para solucionar o sintoma.

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

Cuidados em casa são essenciais para o tratamento dos olhos secos. Confira:

Complicações possíveis

O olho seco não tratado pode levar a lesões na córnea e até mesmo a perda de visão.

Prevenção

Prevenção

Descanse os olhos com frequência

O uso de celulares, tablets e computadores causa uma tensão visual constante, pois a pessoa passa mais tempo com o olho fixo prestando atenção em um texto ou uma tela. Esse esforço visual constante faz com que a pessoa pisque menos do que deveria, prejudicando a lubrificação ocular e favorecendo a evaporação das lágrimas com mais rapidez. Pessoas com olho seco devem usar esses dispositivos de forma mais cautelosa, evitando ficar muitas horas seguidas em frente às telas. No caso do trabalho com uso do computador o recomendado é que a cada 50 minutos seja feito um pequeno intervalo redirecionando o olhar para um ponto distante, ao infinito, com finalidade de relaxamento da musculatura intrínseca do olho. Se estiver lendo um livro, tente fazer as mesmas pausas.

Outra forma de descansar melhor os olhos é mudar a posição do computador. O ideal é que ele esteja um pouco abaixo dos olhos, tendo a superfície da tela no seu campo de visão. Os olhos voltados para baixo ficam mais relaxados e também a pálpebra protege uma região maior deles, reduzindo a chances de olhos secos.

Não se esqueça de piscar

O piscar tem por finalidade o espalhamento da lágrima sobre a superfície ocular, determinando sua renovação e proteção. Ao forçarmos o olhar perante telas e livros, devemos nos certificar de que estamos piscando adequadamente, e fazer uma pausa quando necessário. O piscar deve ser respeitado tanto para pessoas que tem problemas oculares como para as pessoas que usam a leitura para trabalho ou lazer no computador.

Hidrate-se

A ingestão de líquidos, principalmente de água, é muito importante. As pessoas deveriam ingerir pelo menos de dois a três litros de água ao dia, e essa recomendação é de extrema importância para quem sofre com os olhos secos. Basta seguir a seguinte lógica: quando você passa muito tempo sem ingerir água, seus lábios tendem a ficar mais secos. O mesmo acontece com seus olhos, ainda que você não sinta tão intensamente. Uma hidratação adequada ajuda a garantir a lubrificação dos olhos por meio das lágrimas.

Evite contato com irritantes

Os olhos são sensíveis e ficam constantemente expostos a todo tipo de agente irritante - e quem tem os olhos secos está em maior risco, uma vez que o filme lacrimal tem a função de proteger nossa visão de agressões externas. Ambientes climatizados com ar condicionado, umidade do ar muito baixa e exposição à fumaça do cigarro estão entre os principais irritantes oculares.

Os umidificadores de ar são aliados de quem precisa enfrentar o clima seco. No ambiente de trabalho, o ideal é se expor minimamente ao ar condicionado na medida do possível, caprichando na hidratação e lubrificantes oculares. Evite também o ar condicionado do carro, faça um uso moderado e cauteloso do aparelho. Usar óculos de sol que protegem dos raios UVB também é importante, uma vez que a exposição excessiva ao sol contribui para a evaporação lacrimal. Já a fumaça do cigarro e a poluição atmosférica contém partículas irritantes que desestabilizam o filme lacrimal, comprometendo a lubrificação. Mantenha distância do cigarro e busque alternativas para driblar os danos causados pela poluição, como o uso de colírios e lubrificantes oculares.

Adicione ômega 3 à dieta

O ômega 3 tem um efeito estimulador da produção gordurosa lacrimal, melhorando a qualidade da lágrima. Esse é um ácido graxo essencial, ou seja, que o organismo não produz. Ele é incorporado na secreção de algumas glândulas lacrimais na pálpebra, formando uma camada de gordura em torno do olho para evitar que a lágrima evapore.

Para entender como o ômega 3 age na proteção ocular, basta imaginar dois copos com água. Em um deles, é adicionada uma pequena quantidade de óleo, que irá boiar por cima do líquido. Se ambos os copos forem deixados ao ar livre durante algumas horas, percebe-se que o copo sem óleo terá evaporado mais água. O mesmo acontece com nossos olhos, que tem uma camada lipídica produzida por glândulas que tem uma certa quantidade de ômegas. Por isso que a ingestão de suplementos de ômega 3 ou alimentos que contenham o nutriente ajudam o paciente que tem uma tendência ao ressecamento ocular. Aumentar a ingestão de peixes, ovos e sementes como linhaça ajuda a incrementar a ingestão do nutriente. O médico também poderá dizer se a suplementação é necessária. Além disso o bom equilíbrio entre os ômega 3, 6 e 9 contribui para um balanço positivo no controle inflamatório de algumas doenças, dentre elas as que pioram as condições de olho seco, como doenças auto-imunes.

Faça a higiene ocular adequada

Se não é feita uma higiene adequada na pálpebra, cílios e bordas dos olhos, as glândulas já citadas podem entupir e não produzir as gorduras que evitam a evaporação da lágrima. O ideal é usar produtos específicos para limpeza ocular ou então, segundo a especialista, um xampu infantil diluído em água. Durante o banho, coloque uma gotinha de xampu infantil na palma de mão, faça uma espuma e friccione essa espuma na região dos cílios e borda palpebral - sempre com os olhos fechados, mas não apertados. Já os produtos específicos para limpeza devem ser utilizados seguindo as instruções médicas. Essa higiene ajuda as glândulas a trabalharem melhor e evita irritações.

Tome os cuidados adequados com sua lente de contato

Pessoas que usam lente de contato devem fazer a lubrificação certa dos olhos com os colírios recomendados pelo oftalmologista e sempre respeitar o tempo limite de uso contínuo de sua lente. Use sempre também lentes feitas sob medida, já que lentes mal adaptadas aos olhos também podem causar problemas em sua lubrificação.

Referências

Revisado pelo Dr. André Berger, oftalmologista e diretor da ONG Associação para os Portadores de Olho Seco (APOS)

Ruth Miyuki Santo, oftalmologista e responsável pelo Ambulatório de Córnea e Superfície Ocular do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP)

Tania Schaefer, oftalmologista da Clínica Schaefer Oftalmologia e Neurologia, em Curitiba

Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO)

Associação para os Portadores de Olho Seco (APOS)

Был найден мной классный интернет-сайт на тематику Купить Сиалис софт www.pharmacy24.com.ua
читайте здесь biceps-ua.com

https://buysteroids.in.ua