PUBLICIDADE

Mamografia regular pode reduzir risco de morte por câncer de mama

A ligação é ainda mais forte entre as mulheres abaixo dos 40 anos, diz estudo

Fazer os exames de mamografia regularmente é uma das formas mais eficazes de detectar o câncer de mama precocemente - entretanto, a idade em que se começa essa bateria de exames pode variar, principalmente conforme o histórico familiar da mulher. Uma nova pesquisa, feita pela Harvard Medical School (EUA), revela uma taxa de mortalidade significativa entre mulheres com menos de 50 anos que se recusaram a fazer mamografias regulares, já que a recomendação geral é fazer o exame a partir dessa idade. O trabalho foi publicado online dia 09 de setembro na revista Cancer.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Para o estudo, Cady e seus colegas monitoraram casos de câncer de mama invasivos diagnosticados entre 1990 e 1999 até o ano de 2007. Os pesquisadores tiveram acesso ao uso da mamografia, cirurgia, relatórios de patologia e as datas de morte. Os autores avaliaram mais de 600 mortes por câncer de mama, olhando para os registros de mamografia e outros detalhes.

Os resultados mostram que 71% das mortes ocorreram entre as mulheres nunca tinham feito uma mamografia regular, ou faziam o exame em um intervalo maior do que dois anos. Além disso, metade de todas as mortes por câncer de mama ocorreu em mulheres com menos de 50 anos de idade , enquanto apenas 13% das mulheres que morreram de câncer de mama tinham 70 anos ou mais.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

No geral, o estudo também mostrou um aumento na sobrevida do câncer de mama, coincidindo com o surgimento da mamografia. Metade das mulheres diagnosticadas com câncer de mama em 1969, morreu dentro de 13 anos após o diagnóstico, em comparação com cerca de 9% daquelas diagnosticados entre 1990 e 1999 que foram incluídos neste estudo. Embora alguns especialistas tenham creditado o declínio nas taxas de mortalidade de câncer de mama a melhores tratamentos, o estudo mostra que essa pode ser apenas parte da história, atribuindo às mamografias regulares parte do benefício.

Segundo os autores, as mamografias são ainda mais importantes em mulheres mais jovens com histórico familiar do que nas mulheres mais velhas. Isso porque os tumores crescem mais rápido quando se tem menos idade. Os cientistas completam dizendo que a mamografia não reduz o risco de câncer de mama, mas pode reduzir as chances de morte pela doença.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Como deixar a mamografia mais confortável?

O câncer mama é um dos mais incidentes nas mulheres do Brasil e do mundo, ficando atrás apenas do câncer de pele não melanoma. O Instituto Nacional do Câncer (Inca) fez a estimativa de 52.680 casos novos de câncer da mama só no ano de 2012, com um risco de 52 novos casos a cada 100 mil mulheres por ano. A principal arma contra o câncer de mama é seu diagnóstico precoce - segundo dados do Inca, se a doença for detectada em estágio inicial, a chance de cura chega a 90% - e a mamografia é a forma mais eficaz de acompanhar esse risco. As recomendações do Ministério da Saúde para mamografia variam conforme a idade e histórico familiar da mulher: aos 35 anos, mulheres que possuem histórico familiar da doença devem fazer a mamografia anualmente a partir dessa idade; para mulheres que não possuem histórico familiar, a mamografia começa a fazer parte do check-up feminino a partir dos 40 anos; entre 50 e 59 anos, a mamografia pode ser feita com intervalo de até dois anos entre os exames. Quando a rotina de exames começa, é comum as mulheres se queixarem de desconforto e dores durante a mamografia, que muitas vezes pode ser contornado com algumas mudanças desde seu agendamento até a conversa com o radiologista que fará o procedimento. Confira aqui as recomendações dos especialistas:

Evite agendar logo antes ou depois da menstruação

mulher anotando algo na agenda - Foto: Getty Images
mulher anotando algo na agenda - Foto: Getty Images

A mamografia deverá ser realizada preferencialmente durante a segunda e terceira semanas do ciclo menstrual. "Nesse período há menor densidade do tecido glandular das mamas, tornando o exame mais detalhado e com menor desconforto", explica a radiologista Elvira Ferreira Marques, diretora de mamografia do A.C. Camargo Cancer Center. Além disso, no período da menstruação ou nas semanas próximas, as mamas costumam estar mais sensíveis, devido às alterações hormonais, e o exame se torna mais desconfortável.

Avise se tiver implantes de silicone

mulher só de sutiã no hospital - Foto: Getty Images
mulher só de sutiã no hospital - Foto: Getty Images

As próteses de silicone podem interferir na visualização das mamas na radiografia, por isso é de extrema importância comunicar o técnico que fará o exame, caso você tenha os implantes. "Nesses casos, o radiologista precisa ajustar melhor as doses de radiação, de forma a melhorar a visualização das mamas", diz o oncologista Ricardo Caponero, da clínica de oncologia médica CLIONCO, em São Paulo. É necessário também posicionar a paciente de maneira específica, afastando os implantes de forma a expor a maior área possível de tecido mamário.

Vista duas peças de roupa separadas

mulher escolhendo uma roupa pra vestir - Foto: Getty Images
mulher escolhendo uma roupa pra vestir - Foto: Getty Images

"Normalmente as mulheres devem tirar toda a parte superior da vestimenta e vestir um avental descartável, para realizar a mamografia", alerta o mastologista Rodrigo Pepe, vice-presidente centro-oeste da Sociedade Brasileira de Mastologia. Então, o melhor é evitar peças únicas, como vestidos, ou roupas muito difíceis de retirar, contornando desconfortos dessa natureza. De acordo com a radiologista Elvira, o ideal é usar uma camisa abotoada no dia do exame, pois esta pode ser facilmente retirada e vestida.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Evite alguns cosméticos nas axilas

mulher mostrando as axilas - Foto: Getty Images
mulher mostrando as axilas - Foto: Getty Images

A paciente não deve passar nenhum tipo de produto nas mamas ou axilas no dia do exame. "Eles podem produzir imagens no resultado da mamografia que podem confundir o médico, podendo até levantar a suspeita equivocada de um tumor", ressalta o mastologista Rodrigo. A atenção deve ser redobrada com produtos que deixam resíduos, como cremes, desodorantes e talco.

Leve os exames anteriores

mulher conversando com a médica - Foto: Getty Images
mulher conversando com a médica - Foto: Getty Images

De acordo com os especialistas, é imprescindível levar os exames anteriores. "A evolução de eventuais alterações na mama pode ser uma informação fundamental para o diagnóstico, e isso só é possível com o acompanhamento de todos os exames", declara o mastologista Ricardo. Além disso, as mamografias antigas permitem ao médico fazer uma comparação, identificando se uma lesão é nova ou não, mudando a interpretação do exame.

Posicione-se de forma confortável

mulher fazendo uma mamografia - Foto: Getty Images
mulher fazendo uma mamografia - Foto: Getty Images

No momento do exame, permita que o radiologista te posicione da melhor forma, e avise caso esteja se sentindo desconfortável. "O posicionamento adequado das mamas no aparelho é importantíssimo para que toda a glândula seja examinada, e para isso é necessário que a paciente mantenha o corpo relaxado", explica a radiologista Elvira. Os especialistas ressaltam que qualquer mudança de posicionamento durante o exame pode prejudicar seu resultado - por isso, converse com o técnico e procurem juntos a melhor posição para o exame.

Notifique o médico sobre suas limitações

mulher fazendo uma mamografia - Foto: Getty Images
mulher fazendo uma mamografia - Foto: Getty Images

"Deve ser comunicada qualquer limitação da paciente, como rigidez muscular, dificuldade para levantar os braços e outros problemas que poderão dificultar a posição correta no aparelho", diz a radiologista Elvira. Uma vez que o posicionamento e conforto da paciente são fundamentais para o sucesso do exame, qualquer restrição deve ser comunicada. "Se de qualquer forma o posicionamento for impossível (o que é raro) deve-se procurar outros métodos de exame, como o ultrassom", afirma o mastologista Ricardo.

http://best-products.reviews

www.buysteroids.in.ua/inekczionnyie-anabolicheskie-steroidyi/nandrolon/decabol-300.html

best-cooler.reviews/best-lunch-cooler-personal/