PUBLICIDADE

Cientistas descobrem três novos tipos de depressão: Entenda

Pessoas que sofreram traumas na infância tendem a não apresentar melhoras com antidepressivos

Há pessoas que sofrem com a depressão e mesmo tomando antidepressivos, não conseguem melhorias no humor. E segundo um novo publicado no ScienceAlert, isto acontece porque a depressão apresenta três subtipos, sendo um deles intratável com remédios.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Para os pesquisadores, estima-se que 30% da população não alcance melhoras com antidepressivos.

Como o estudo foi feito

Para provar que existem diferentes tipos de depressão, o autor do estudo Kenji Doya e seus pesquisadores analisaram 134 pessoas. Metade delas tinham a doença e o restante tinham um estado emocional estável.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Os cientistas realizaram ressonância magnética nos participantes, estudaram seus genes e os entrevistaram sobre seus padrões de sono, condições mentais e aspectos emocionais da vida.

Resultados

Os pesquisadores notaram a existência de três subtipos de depressão, os quais eles denominaram como D1, D2 e D3. Na primeira, o paciente apresenta uma alta conectividade cerebral e um histórico de traumas na infância.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Na segunda, os pacientes possuem alta conectividade cerebral e nenhum trauma infantil. E na terceira, os pacientes apresentavam baixa conectividade cerebral e nenhum trauma na infância.

Entretanto, a depressão "D1" é a mais nociva, já que os pacientes que foram diagnosticados com ela não apresentaram melhorias com o uso de antidepressivos. O próximo passo dos autores do estudo é identificar por que isso acontece.