Sintomas de gravidez: descubra se você está esperando um bebê

Conheça os sinais que o corpo manifesta e descubra se você está grávida

Quando a mulher engravida o corpo passa por diferentes mudanças para se adaptar ao bebê que está se desenvolvendo e assim surgem os primeiros sintomas de gravidez. Existem diferentes sinais que podem indicar uma gravidez, alguns são facilmente perceptíveis, como o atraso na menstruação, outras demoram um pouco mais aparecer e nem sempre são relacionados à gravidez, como um aumento no fluxo da saliva.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

20 sintomas que podem indicar uma gravidez

Quando aparecem os primeiros sintomas de gravidez

De acordo com o Ministério da Saúde, normalmente os primeiros sintomas de gravidez aparecem quando o óvulo se instala na parede do útero, alguns dias depois de a relação sexual ter acontecido.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

No entanto, muitas mulheres só percebem que estão grávidas a partir do atraso da menstruação. Para que você tire suas dúvidas sobre o assunto, listamos os principais sintomas que sugerem uma gravidez e podem justificar uma consulta ao seu ginecologista.

1. Atraso menstrual

Muitos sintomas de gravidez podem aparecer em diferentes momentos, mas não há sintoma mais certeiro do que o atraso da menstruação. Ele ocorre por que o sangue da menstruação nada mais é do uma camada que o útero produz para acomodar melhor o embrião, e que é eliminada quando a gestação não ocorre. Ou seja, se a menstruação não desceu, o mais provável e que o sangue esteja sendo usado para sua finalidade original!

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Sendo assim, pode-se dizer que os primeiros sintomas de gravidez aparecem a partir do segundo dia de atraso da menstruação. Por outro lado, muitas mulheres não têm tanto controle assim de sua menstruação. Nesses casos, a mulher costuma desconfiar depois de um certo tempo, com o aparecimento dos outros sintomas.

2. Mamas maiores e sensíveis

Outro sintoma de gravidez bem acentuado são as mudanças nos seios, que podem aparecer entre a quarta e a sexta semana de gravidez. Isso ocorre porque o processo da gestação faz com que elas comecem a se desenvolver para que a mulher possa produzir leite na amamentação, havendo um aumento das glândulas e da vascularização. "A mama fica entumecida, mais turgida e dolorida, e pode chegar a aumentar até um ou dois números de sutiã", ressalta o ginecologista Luiz Fernando Dale, especialista em Reprodução Humana e diretor do Centro de Medicina da Reprodução no Rio de Janeiro. Algumas mulheres ficam com tanta sensibilidade na região que os seios doem até nos movimentos, como encostar o balançar.

3. Enjoos

Alimentos aliviam enjoos na gravidez?

O enjoo é o sintoma de gravidez mais clássico do primeiro trimestre. "Esse sintoma de gravidez costuma aparecer logo no começo da segunda semana após a fecundação". explica o ginecologista e obstetra Corintio Mariani Neto, membro da Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (SOGESP). Mas é claro que o tempo de aparecimento dos primeiros sintomas de gravidez e a intensidade varia de mulher para mulher, apesar de ser raro não apresentá-lo.

4. Aréolas mais escuras

Com tanta atividade e mudanças nas mamas, acaba havendo um aumento da vascularização da região, o que inclusive justifica tanta sensibilidade nesses órgãos. Com isso as aréolas dos seios tendem a ficar mais escuras do que antes. "Algumas mulheres, com o tempo, chegam a ficar com uma segunda aréola um pouco mais clara do que a original em volta", explica Mariani. Em alguns casos, esse sintoma de gravidez pode aparecer a partir da segunda semana.

Além disso, podem se desenvolver pequenas protuberâncias nas aréolas, que costumam assustar as mães de primeira viagem. "Na verdade, eles são apenas os Tubérculo de Montgomery, glândulas sebáceas que ajudam a pele da região a se manter mais hidratada", ensina o especialista.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

5. Pequeno sangramento

Muitas mulheres relatam um pequeno sangramento no começo da gestação, normalmente atribuído ao momento em que o embrião se implanta na parede do útero, já que a fecundação ocorre nas trompas, mais próxima ao ovário. Os especialistas se dividem quanto a ocorrência desse sangramento. Muitos acreditam que ele pode não acontecer, enquanto outros afirmam que sim, é até comum encontrar mulheres que afirmam ter "menstruado" no começo da gravidez. Em alguns casos, pode acontecer de esse sintoma de gravidez se manifestar entre seis a 12 dias após a relação sexual.

6. Maior frequência urinária

O aumento da frequência urinária também é um dos sintomas de gravidez, principalmente a partir do segundo mês de gestação. "Conforme o útero cresce, se reposiciona no corpo, e vai comprimindo a bexiga. É comum a grávida acordar a noite com muita vontade de urinar, mas ter pouco líquido", conta Mariani. Claro que essa frequência urinária vai aumentando ao longo da gestação, com o crescimento do útero e do feto, e é muito mais discreta no comecinho. De acordo com o especialista, a bexiga se adapta a essa mudança inicial e depois, com o encaixe do bebê próximo à época do parto, a urgência de urinar volta.

7. Aumento abdominal

Obviamente a barriga só fica realmente visível da metade para o final da gravidez, no entanto, desde o comecinho as mulheres mais atentas podem notar um pequeno aumento no abdômen, como se ela estivesse engordando um pouco e esse pode ser um dos primeiros sintomas de gravidez, que pode aparecer a partir da quinta semana de gestação.

Em parte é uma mudança de lugar que o útero tem de tamanho e local, para começar a acomodar o bebê. Mas há também a influência que os hormônios da gravidez exercem sobre o sistema digestivo. "Como há uma redução no trânsito intestinal, acaba havendo um inchaço da região", explica Mariani.

8. Prisão de ventre

O intestino é totalmente afetado pela gestação: a progesterona reduz o trânsito intestinal, ou seja, o bolo alimentar demora bem mais tempo para fazer todo seu caminho até ser excretado como as fezes. Ou seja, defecar se torna algo muito mais demorado desde o começo, o que inclusive aumenta o inchaço abdominal. Esse sintoma de gravidez costuma aparecer ao longo do primeiro trimestre;

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

9. Gases e cólicas pouco intensas

Como consequência, a gestante também acumula muitos mais gases. "Quando o bolo alimentar não anda, os gases ficam presos também, o que pode provocar cólicas e desconfortos", explica Dale.

Por isso mesmo, é comum que a gestante tenha pequenas cólicas intestinais, além das pequenas cólicas comuns do útero. "É importante que essas cólicas não sejam intensas e nem durem tempos muito longos, ou pode significar algum problema na gestação", alerta Mariani.

10. Aversão a cheiros fortes

Não se sabe ao certo por que, mas as mulheres costumam a ter alterações no paladar e olfato durante a gestação. "É muito comum que uma gestante que adorava pastel, por exemplo, passe um bom tempo da gestação sem conseguir sentir o cheiro dele sem enjoar", exemplifica Mariani.

11. Instabilidade emocional

Gestantes costumam ser sensíveis e um aumento na facilidade em chorar pode ser também um sintoma de gravidez. Para Dale, tudo está relacionado à retenção de líquidos. "Pode haver um acúmulo de líquidos na cabeça, que pressiona o cérebro e muda a área do humor", explica o especialista. Além disso, é importante lembrar que a gravidez é um turbilhão de novas emoções, principalmente para quem está esperando o primeiro filho. Dúvidas sobre a saúde do bebê, como será o parto e se ela conseguirá amamentar, tudo isso passa pela cabeça dela, além da insegurança de começar uma experiência nova.

12. Desejos estranhos

Junto com as alterações no olfato, um dos primeiros sintomas de gravidez pode ser o aparecimento de desejos alimentares tanto por coisas comuns quanto por itens não comestíveis, como terra, tijolos, plástico... Esse transtorno alimentar se chama "pica" e tem fundo mais emocional e é comum no primeiro trimestre da gravidez. "Não há relação com problemas alimentares, como anemia por exemplo, como muita gente acredita. Normalmente, quando a gestante apresenta esses sintomas, é importante investigar se ela não está com algum problema familiar ou com o marido", ressalta Mariani

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

13. Aumento da libido

Algumas gestantes relatam ter aumento da libido sexual. Do ponto de vista hormonal, isso até pode fazer sentido. "No primeiro trimestre a produção hormonal ainda ocorre no ovário, e como ele é superestimulado, pode acabar produzindo testosterona em excesso também, hormônio ligado ao desejo sexual", considera Dale. No entanto, com tantos outros sintomas ocorrendo, como o enjoo, a prisão de ventre e os gases, muitas gestantes não querem nem saber de sexo durante toda a gravidez.

14. Maior salivação

A gestante tem uma produção aumentada de todas as secreções do corpo: suor, corrimentos, lágrimas... e saliva! O que pode acontecer com relativa frequência é a gestante produzir saliva demais. "Já vi muitas pacientes vindo ao consultório com uma toalhinha para cuspir, pois a produção de saliva é tão grande que engolir pode aumentar as náuseas", relata Mariani. Portanto, esse pode ser outro sintoma de gravidez inicial.

15. Sangramento na gengiva

Esse sintoma de gravidez, na verdade, pode se acentuar no período gestacional. De acordo com Costa Filho, provavelmente a gestante já teria uma predisposição a ter gengivite antes de engravidar. Daí, quanto a gestação acontece, essa condição se acentua e acarreta a gengivite. A gravidez faz com que a produção hormônios como progesterona e estrógeno aumente. Essa mudança hormonal causa aumento do fluxo sanguíneo e faz com que a região da gengiva fique mais sensível.

16. Ronco

De acordo com o ginecologista Orlando Camanho Costa Filho, da Santa Casa de Mauá, as oscilações hormonais causam alterações nas cordas vocais e também fazem com que as membranas nasais inchem, ocasionando assim o ronco. Esse sintoma não é comum no começo da gravidez, mas pode acontecer.

17. Inchaço da vulva

As modificações hormonais fazem com que o fluxo sanguíneo aumente na região vaginal. Essa dinâmica também faz com que haja maior circulação na região da vulva, fazendo com que ela tenha uma aparência mais inchada.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

18. Aumento da transpiração

Quando uma mulher engravida é como se ela estivesse em uma menopausa fisiológica. Logo, o aumento do fluxo sanguíneo ocasionado pelos hormônios faz com que os vasos sanguíneos se dilatem e aumentem a temperatura corporal. Isso faz com que a gestante sinta mais calor e consequentemente transpire mais. Logo esse também pode ser um sintoma de gravidez

19. Coceira

O aumento da transpiração pode facilitar o surgimento de dermatites e erupções na pele, caracterizando-se também como um sintoma de gravidez. De acordo com Costa Filho, as mudanças na pele tendem a se intensificar com a evolução da gravidez. Por isso é importante mantê-la hidratada e protegida durante todo o período.

20. Flatulência

Com o aumento da progesterona há um aumento na contração dos músculos lisos, responsáveis pelos movimentos do trato digestório. Isso diminui a velocidade com que os gases são eliminados fazendo com que eles fiquem concentrados no intestino - resultando assim na fermentação de certos alimentos pelas bactérias.

Sintomas de gravidez antes da menstruação atrasada

10 sintomas de gravidez que você não conhecia (antes do atraso na menstruação)

Sintomas de gravidez de gêmeos

Um gravidez de gêmeos ocorre quando há mais de um embrião se desenvolvendo na barriga da mãe. A chance de uma mulher ter filhos gêmeos de maneira natural é de 1 a cada 80 gestações. Isto pode ser decorrente de fatores hereditários em qualquer idade. No entanto, quando a gestação gemelar ocorre, ela pode se manifestar de duas formas:

1. Quando a mulher ovula mais do que um óvulo e eles são fertilizados por diferentes espermatozoides, os chamados gêmeos não idênticos ou bivitelínicos;

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

2. Quando um embrião, em determinado estágio de desenvolvimento, se divide e gera dois embriões, os gêmeos idênticos ou univitelínicos.

Como em uma gravidez de gêmeos há mais de um embrião se desenvolvendo, é natural que a quantidade de beta HCG, hormônio produzido pelo organismo durante a gestação pelas células precursoras da placenta, seja maior. Sendo assim, esse aumento na quantidade de beta HCG pode ser um indicativo de que há uma gravidez de gêmeos.

Porém, só será possível confirmar uma gravidez gemelar a partir da realização do ultrassom. Isso porque os valores de concentração do hormônio Beta HCG são muito variáveis de uma mulher para outra.

Durante o exame, também é possível identificar se os gêmeos são univitelinos ou bivitelinos. No caso de bivitelino, existem placentas e membranas amnióticas distintas. Se forem gêmeos univitelinos, pode acontecer de eles compartilharem a mesma placenta, o mesmo saco gestacional, mas apresentarem uma membrana amniótica diferente. Além disso, em casos mais raros, pode acontecer de os embriões compartilharem a mesma placenta e o mesmo líquido amniótico.

Os sintomas de gravidez de gêmeos podem se manifestar de forma mais acentuada. De acordo com o ginecologista e obstetra Alfonso Araújo Massaguer, isso pode acontecer devido às mudanças hormonais, pois há uma maior quantidade de Beta HCG, aumento do útero e da barriga. A seguir é possível conferir quais são os sintomas de gravidez de gêmeos:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Retenção de líquido

Devido às mudanças hormonais é comum que a gestante tenha maior retenção de líquido. Além disso, segundo Massaguer, o aumento da pressão no útero dificulta o retorno venoso, principalmente nas pernas, o que contribui para o inchaço. Ele explica que é possível amenizar a retenção de líquidos colocando as pernas para cima ao repousar, usando meias de compressão, realizando atividades físicas, como hidroginástica e mantendo uma alimentação saudável.

Enjoos mais intensos

O enjoo é um dos sintomas de gravidez de maior incidência na vida das mulheres e na gravidez de gêmeos não seria diferente. Um dos motivos que podem justificar o aparecimento do enjoo é o aumento do hormônio Beta HCG produzido na placenta durante a gravidez. Como a placenta das mulheres grávidas de gêmeos é maior, há também um aumento na produção deste hormônio.

"Podem acontecer quadros de hiperêmese gravídica, no qual a gestante apresenta um quadro constante de enjoos e náuseas. em alguns casos é preciso internar e manter a paciente com alimentação endovenosa", explica Massaguer.

De acordo com ele, é importante manter uma dieta balanceada, respeitar os horários de refeição, tomar chá de camomila com gengibre e ingerir alimentos mais cítricos. "Também é importante que a gestante continue realizando suas atividades rotineiras e cuide de sua saúde emocional." complementa.

Maior sensibilidade mamária

Devido ao inchaço é comum que as mamas também fiquem mais sensíveis e doloridas. Uma forma de amenizar esse sintoma é fazer banho de imersão ou fazer uso de cremes. Antes de fazer uso de cremes, é importante conversar com o médico. Além disso, Massaguer explica que não se deve usar diurético para tentar amenizar o inchaço, pois os compostos do medicamentos podem prejudicar o fluxo sanguíneo dos bebês.

Cólicas mais intensas

As cólicas também costumam ser um sintoma de gravidez de gêmeos. Isso porque há um acúmulo de bolo alimentar fazendo com que os gases fiquem mais parados no ventre, ocasionando assim cólicas e desconfortos.

Fadiga extrema

Durante a gravidez de gêmeos o coração da mãe tem a necessidade de bombear mais sangue, o que causa sensação de cansaço, pois o coração precisa trabalhar mais. Além disso, com o desenvolvimento dos bebês há uma maior compressão dos pulmões, dificultando a respiração.

Atenção!

É importante ressaltar que os sintomas de gravidez não são iguais para todas as mulheres. "Tudo depende da sensibilidade de cada uma, o momento em que cada sintoma aparece é muito variável. Há mulheres que já estão grávidas de quatro meses e podem não perceber, enquanto outras já têm enjoo na semana seguinte à fecundação", exemplifica o ginecologista e obstetra Corintio Mariani Neto.

Fontes:

poliv.ua/tovary/oborudovanie-dlya-sistem-avtomaticheskogo-poliva/kapelnyj-poliv

Узнайте про нужный сайт со статьями про www.imagmagnetsns.ua.
photolifeway.com